5 jeitos de usar casacos fluffy no dia a dia

Fiiiiinaalmeeenteee os casacões de pele fake viraram tendência na nossa terrinha e está BEM mais fácil achar um para chamar de seu. Confesso que acho o preço meio salgado (até mesmo nas fast fashions) por isso vou dar meu jeito de garimpar um no brechó. Lembro que há alguns anos esse tipo de casaco era um super tabu, e servia para ser usado EXCLUSIVAMENTE em festas e baladas, por cima de vestidos chiquérrimos. Sei que muita gente ainda encara os casacões fluffy assim, e essa semana mesmo dei de cara com um post que tentava vender um casaco desses com a proposta de ser perfeito nessas ocasiões.

Ok ok, eles não são nada discretos e provavelmente você vai precisar de uma pequena (grande) dose de ousadia para usá-los no dia a dia, mas olha vale a pena porque fica DI-VI-NO viu? Não tem look sem graça com essa peça amiga. Para provar, separei 6 fotos de street style que provam o quanto os casacões de pelo são super usáveis no dia a dia.

1. Com calça rasgada e blusinha basicona

c3bb5527155ddd89ee36ad25c8be772b

2.  Num look all black 

a0362740aa40b41f68f34bf119a23335

460ce6ea7b00ac97f0697cbc0cce36cd

3. Com saia e tricô

3fb20b4376608795d0b618b497936f13

4. Com tênis e calça jeans

2ef27123d925ff3866d456db1ec5fd91

5. Com vestido

69001636a013e2a767f71f61f43618b3

E se alguém te chamar de perua, sorria e acene gata;) #useoquetefazfeliz

giphy.gif

Anúncios

21 coisas que aprendi depois dos 28

Quando a gente chega perto dos 30 o ciclo da vida muda. Simplesmente muda! De uma hora para outra as coisas acontecem, e parece que você finalmente percebe é uma pessoa ‘adulta’. A gente passa a encarar a vida de outro ângulo, as coisas acontecem muito rápido e de certa forma, parece que não dá tempo para se preparar e virar gente grande.

O ano é 2017, e pela primeira vez eu senti um baque, percebi que estou REALMENTE mais perto dos 30 do que dos 20. Parece surreal quando chega, e a verdade é que por um momento eu queria congelar essa fase da vida.

Abaixo minha listinha do que mudou na minha vida nessa fase tão doida e ao mesmo tempo tão boa.

  • Me deparei com MUITOS fios brancos no cabelo (culpa da minha genética).
  • Ao mesmo tempo passei a usar creme no rosto diariamente, porque a pele também não é mais a mesma. 😛
  • Minhas primas mais novas estão grávidas ou já são mamães (e ás vezes rola uma pressão psicológica por eu não ser igual). 
  • Finalmente descobri o que gosto de fazer profissionalmente e principalmente o que eu não gosto.
  • Resolvi fazer um mestrado e estou amando.
  • Me arrependi MUITO de não ter feito mestrado mais cedo. 
  • Meus sonhos com relação a vida profissional mudaram drasticamente e para mudar precisei de coragem.
  •  Fiquei mais atenta com amizades e os amigos que ficaram foram realmente poucos. 
  • Estou aprendendo a ficar calada ao invés de discutir por bobagem. 
  • Aprendi a lidar com dinheiro e fazer melhores investimentos. 
  • Passei a comprar MUITO menos: roupas, sapatos, maquiagens.
  • Consegui compilar meu guarda em apenas UMA arara e algumas gavetas. 
  •  Estou amando garimpar em brechós. 
  • Finalmente decidi fazer exercícios (já tava passando da hora). 
  • Aprendi a não fazer pré julgamentos. Algumas pessoas que a primeira vista parecem detestáveis podem ser incríveis depois que você as conhece. 
  • Comecei a pensar como vai ser minha velhice, e me preparar para isso em todos os sentidos. 
  • A ideia da vida profissional perfeita já não está mais associada com glamour. 
  • Ganhar dinheiro passou a ser mais importante do que trabalhar em algum lugar descolado. 
  • Descobri que definitivamente não sou uma pessoa que gosta de andar em bandos, mas ao mesmo tempo não sou solitária. 
  • Aprendi que ouvir/fazer fofoca sobre os outros não é uma boa NUNCA. 
  • Passei a selecionar TUDO melhor: com que ando, o que ouço, o que leio, o que compro.

giphy.gif